Estágios

Informações gerais

O Tribunal de Justiça da União Europeia oferece anualmente um número limitado de estágios remunerados, com uma duração de cinco meses, nos gabinetes dos Membros do Tribunal de Justiça e do Tribunal Geral da União Europeia e nos serviços do Tribunal de Justiça.

Os estágios nos serviços do Tribunal de Justiça são principalmente realizados nas Direções da Tradução Jurídica, na Direção da Investigação e Documentação, na Direção da Comunicação, na Direção do Protocolo e das Visitas, nos serviços do Consultor Jurídico para os Assuntos Administrativos, na Secretaria do Tribunal Geral e na Direção da Interpretação (para as modalidades de estágio na Interpretação, ver infra).

Há dois períodos de estágio:

de 1 de março a 31 de julho (apresentação das candidaturas entre 1 de julho e 15 de setembro de cada ano)

de 16 de setembro a 15 de fevereiro para os estágios nos gabinetes e de 1 de outubro a 28 de fevereiro para os estágios nos serviços (apresentação das candidaturas entre 1 de fevereiro e 15 de abril de cada ano).

Os candidatos, que devem ser titulares de um diploma universitário em Direito ou Ciência Política (vertente Direito), ou, para os estágios na Direção de Interpretação, de um diploma de Intérprete de Conferência, devem apresentar as suas candidaturas através da aplicação EU CV Online dentro dos prazos previstos.

O montante da bolsa ascende a 1.177,00 € líquidos por mês.

É paga uma contribuição para as despesas de viagem no montante 150,00€ aos estagiários remunerados cujo local de residência se situe a uma distância geográfica igual ou superior a 200 km da sede do Tribunal de Justiça da União Europeia.

Por razões de serviço, é desejável um bom conhecimento da língua francesa.


Os estágios na Direcção da Interpretação, com uma duração de dez a doze semanas, destinam‑se, em primeiro lugar, a recém-formados em interpretação de conferência cuja combinação linguística apresente interesse para a Direcção da Interpretação. O objectivo é permitir aos intérpretes recém‑formados serem orientados no seu aperfeiçoamento em interpretação, mais concretamente jurídica, que inclui simultaneamente a preparação dos processos, o trabalho de investigação terminológica e exercícios práticos na «cabine muda». Exige-se que os candidatos tenham capacidade para ler textos em língua francesa. Durante as férias judiciais não há audiências.